Nem sei por onde começar. Foda-se. Vou começar pelo meio mesmo. Já ouviu falar de “Johnny Vai à Guerra” ou “Johnny Got His Gun”? Provavelmente não. Eu também não, até ontem. Primeiro vai a letra de One, do Metallica. Você vai entender por quê.

I can't remember anything

Can't tell if this is true or dream

Deep down inside I feel to scream

This terrible silence stops meNow that the war is through with me

I'm waking up, I cannot see

That there's not much left of me

Nothing is real but pain now

Hold my breath as I wish for death

Oh please God, wake me

Back in the womb it's much too real

In pumps life that I must feel

But can't look forward to reveal

Look to the time when I'll live

Fed through the tube that sticks in me

Just like a wartime novelty

Tied to machines that make me be

Cut this life off from me

Hold my breath as I wish for death

Oh please God, wake me

Now the world is gone I'm just one

Oh God help me

Hold my breath as I wish for death

Oh please God, help me

Darkness

Imprisoning me

All that I see

Absolute horror

I cannot live

I cannot die

Trapped in myself

Body my holding cell

Landmine

Has taken my sight

Taken my speech

Taken my hearing

Taken my arms

Taken my legs

Taken my soul

Left me with life in Hell

Ok, em português, seu vagabundo

Metallica – One (tradução)
Metallica
Não consigo me lembrar de nada

Não posso dizer se isto é sonho ou realidade

Dentro me sinto gritar

Este silêncio terrível me prende

Agora que a guerra acabou comigo

Eu estou acordando, eu nao posso ver

Que não resta muito de mim

Nada é real a não ser a dor

Prendo minha respiração eu quero morrer

Por favor, deus, me acorde

De volta ao útero é real demais

Dentro pulsa a vida que tenho de sentir

Mas não posso olhar adiante para revelar

Olhe para o tempo que irei viver

Alimentado pelo tubo enfiado em mim

Como uma novela de tempo de guerra

Preso a máquinas que me fazem existir

Corte esta vida de mim

Agora o mundo não existe mais, sou apenas um

Deus ajude-me

Prendo minha respiração eu quero morrer

Por favor deus me ajude

Trevas me aprisionando

Tudo o que vejo

Horror absoluto

Eu não posso viver

Eu não posso morrer

Preso em mim mesmo

Meu corpo é minha cela

O campo minado levou minha alma

Levou minha fala

Levou minha audição

Levou meus braços

Levou minhas pernas

Levou minha alma

Me deixou com vida no inferno

Traduzido por Bruno Mello

Coloquei os créditos porque tá muito bem traduzido.

Então, viu a porra da música? Foi baseada no livro ” Johnny Got His Gun”. Familiar? É o título do texto, espertão. Deu pra entender?

Johnny Got His Gun conta a história de um soldado que vai para a puta que o pariu Primeira Guerra Mundial e, no último dia, uma bomba explode do lado dele. Imagina o que virou. Só sobrou o tronco. Os membros do cara viraram comida de urubu, o nariz, os olhos e a boca, purê. O cara, obviamente, entrou em coma. Mas, apesar de não se comunicar, ele raciocinava (tipo catalepsia). Até que ele recupera os movimentos da cabeça (desfigurada). Então, ele começa a bater a cabeça desesperadamente na cama. Num belo dia, um tiozinho descobre que era código Morse. Então o soldado se abre, revelando sua imaginação, seus pensamentos e memórias.

Resumindo: FODA. E olha que eu nem assisti a bagaça.

Pois é, o livro virou um filme homônimo (de mesmo nome, burro) em 1971. E adivinha? Agora, em 2008, sai a nova versão! E o coitado do soldado é o Ben McKenzie, o Ryan Atwood do “The O.C.”.

Trechos do filme de 1971 + música do Metallica

Anúncios